Dezembro Laranja: câncer de pele representa cerca de 30% dos tumores malignos no Brasil

Foto: SBDRJ

Campanha alerta sobre os principais sinais da doença e conscientiza sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce

Depois do outubro rosa e do novembro azul, chegou a vez do Dezembro Laranja alertar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce de um dos tumores que mais acometem os brasileiros: o câncer de pele.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Brasil registra cerca de 180 mil novos casos da doença por ano, o que significa que um em cada quatro novos casos de câncer no país é de pele. Ele é mais comum em pessoas de pele clara e com mais de 40 anos.

De acordo com a dermatologista do Hapvida, Roberta Guedes, o câncer de pele do tipo não melanoma é o mais frequente. A boa notícia é que ele tem letalidade baixa e pode ser curado se for diagnosticado e tratado precocemente.

“É preciso ficar atento aos sinais. Por isso que é muito importante consultar o dermatologista periodicamente e realizar uma avaliação, pois essa suspeita começa no exame físico”, destaca a especialista.

CÂNCER DE PELE AUMENTA ENTRE OS JOVENS

O aumento no número de casos de câncer de pele entre os jovens tem preocupado a comunidade médica e uma das possíveis causas é a falta de aplicação de protetor solar e exposição prolongada ao sol, especialmente entre 10h e 16h, período em que os raios ultravioletas são mais fortes.

“O câncer pode ser prevenido através de uma proteção adequada, como roupas, bonés ou chapéus de abas largas, óculos escuros com proteção UV e sombrinhas”, afirma a dermatologista.

A especialista reforça a importância sobre o uso frequente do protetor solar com fator de proteção 30 ou superior. Também é preciso ficar atento a outras áreas do corpo. “Ao contrário do que muita gente pensa, também é importante proteger os lábios. As unhas também podem ser acometidas e merecem atenção”, ressalta a médica do Hapvida.

TRATAMENTO

De acordo com dra. Roberta, o tratamento depende do tipo de câncer de pele, que geralmente é definido após a biópsia. Ela chama a atenção para a importância de realizar a retirada do tumor, se necessário, apenas por profissionais capacitados. “O paciente nunca deve ser submetido a cauterizações e retiradas de sinais por profissionais não especialistas”, diz. “Proteja a sua pele e cuide-se”, finaliza a médica.

Compartilhe o artigo:
Sobre Gov Notícias 316 Artigos
Redação do Site Gov Notícias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*