Uern terá Diretoria de Ações Afirmativas e Diversidade

Universidade prepara grande mudança em seu organograma - Foto: reprodução

Com a ampliação das políticas de ações afirmativas nos últimos anos e a necessidade de consolidar as pautas nos campos da diversidade, atendimento às mulheres e à população negra e indígena, a Uern deverá contar com uma diretoria específica para estas questões.

A Diretoria de Ações Afirmativas e Diversidade é um dos novos setores propostos pela reitoria da universidade no processo que trata da reestruturação administrativa da instituição, que está em tramitação no Conselho Diretor.

Trata-se da primeira grande mudança estrutural no organograma da universidade, já que até então, aconteceram mudanças pontuais na estrutura organizacional da Uern.

A proposta foi elaborada a partir da análise dos organogramas de toda a universidade com o objetivo de realizar as adequações necessárias ao cumprimento do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), aprovado em 2016, e à nova realidade da instituição a partir da conquista da autonomia financeira.

Com a autonomia, a Uern está, após anos de severo contingenciamento financeiro, especialmente no que diz respeito à rubrica de investimentos, ampliando suas ações de modernização. Para planejar e gerenciar esse crescimento, a assessoria de infraestrutura e a diretoria de informatização também estão sendo reestruturadas, ampliando sua atuação e passando a ser superintendências de obras e engenharia, e de informática, respectivamente.

Hospital da Mulher

Outro ponto atendido com a proposta do novo organograma busca contemplar a gestão acadêmica do Hospital da Mulher, que será inaugurado ainda neste ano. Conforme o plano de gestão do hospital, a Uern é responsável pela sua gestão acadêmica. Desta forma, o organograma prevê uma diretoria de gestão acadêmica hospitalar para gerenciar a participação acadêmica na unidade.

A nova organização contempla ainda as secretarias de departamentos acadêmicos, que passarão a receber função gratificada, a exemplo do que já acontece nas pós-graduações, com coordenadores e secretários.

Na perspectiva de atender as demandas institucionais deste novo cenário a atualização dos organogramas representará um acréscimo de R$ 237 mil/mês, o que representa 1,1% do valor bruto da folha de pagamento da Universidade.

A proposta será apreciada pelo Conselho Diretor da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FUERN), órgão responsável por analisar e autorizar as medidas administrativas institucionais com impacto financeiro.

Fonte: Saulo Vale

Compartilhe o artigo:
Sobre Gov Notícias 563 Artigos
Redação do Site Gov Notícias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*