Reviravolta: morte de bacharel em Direito foi crime de homofobia, diz advogado

Eliel Ferreira à esquerda e Ialamy à direita - Foto Divulgação Polícia

O assassinato do bacharel em Direito Eliel Ferreira Cavalcante Júnior, 25 anos, tem mais uma reviravolta. Um dia após a Polícia Civil fazer uma coletiva de imprensa para anunciar os motivos do crime, surge uma testemunha que pode mudar os rumos da investigação. O namorado de Eliel, que morava num condomínio que fica na rua do assassinato, prestou depoimento à Polícia. Os detalhes contados pela testemunha indicam que o crime pode ter sido motivado por homofobia.

Segundo o advogado, Edson Lobão, outros dois homens participaram do crime. O advogado narra com detalhes o depoimento de Lucas, companheiro de Eliel.

O advogado da família da vítima explicou que Eliel teria ido visitar o namorado no condomínio onde ele morava que ficava em frente à casa de Ialamy Gonzaga. Ainda segundo a defesa, o acusado já tinha visto Eliel e o seu companheiro juntos outras vezes. No sábado (9) os dois haviam saído juntos de casa e quando voltaram, pararam em frente ao condomínio para conversar, quando observaram dois homens que saíram da casa de Ialamy se aproximando.

Segundo o depoimento do companheiro de Eliel, os dois homens teriam dado um sinal para o acusado, que se aproximou e deu dois disparos. As vítimas correram para lados opostos, e Ialamy seguiu Eliel. A vítima acabou sendo contida por um morador, o que teria permitido Ialamy se aproximar e dar mais disparos, executando Eliel.

A primeira versão da Polícia Civil:

Durante coletiva de impressa, realizada na tarde da segunda-feira (11), o delegado Rafael Arraes, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) detalhou o que a Polícia Civil já apurou sobre o caso. Segundo as investigações, Eliel estava conversando com um amigo na calçada de uma rua, no Bairro Boa Vista, quando Ialamy Gonzaga, apontado pela Polícia como autor do crime, achou que Eliel seria um assaltante e o abordou. Eliel, por sua vez, pensou que seria assaltado e correu. A população começou a gritar “pega ladrão” dando a entender que Eliel seria assaltante. Nesta versão, um rapaz que viu a confusão agarrou Eliel, e mesmo rendido ele teria levado o primeiro disparo. Ainda de acordo com as investigações, o primeiro tiro atingiu o rapaz que segurava Eliel. Ialamy teria pedido para o rapaz procurar atendimento no hospital e no momento que ele saiu disparou várias vezes em direção a Eliel matando-o no local.

Relembre o Caso

Eliel Ferreira Cavalcante Júnior, 25 anos, foi morto em via pública com cerca de 9 tiros de pistola, no último sábado (9). O crime aconteceu por volta das 21h40, na Rua Francisco Bernardo, próximo aos Correios do Bairro Boa Vista, Mossoró/RN.

Na ocasião, a Polícia informou que a vítima bebia com amigos quando alguém chegou e efetuou os disparos. Ele saiu correndo, mas acabou sendo executado. A polícia informou ainda que uma outra pessoa teria sido baleada no local e socorrida por um carro particular ao Hospital Tarcísio Maia. Eliel era Bacharel em Direito formado pela UNP de Mossoró. Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Mossoró, ele fez o exame de ordem, passou, recebeu certificado de aprovação, mas ainda não havia requerido a carteira.

Fonte: TCM Notícia

Compartilhe o artigo:
Sobre Gov Notícias 489 Artigos
Redação do Site Gov Notícias

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*